EspanhaEscapadinhas de Fim de SemanaNatureza

Fim de semana único: os 10 melhores hotéis com adega de Espanha

By , 3 setembro, 2018

Dormir entre os vinhedos, visitar adegas centenárias, banhar-se com as cascas das uvas e participar em degustações de vinhos são experiências que poderá encontrar em hotéis situados nas regiões com forte tradição vinícola. Percorremos a geografia espanhola à procura dos melhores vinhos e hotéis com adega para que possa desfrutar de uma experiência única desde o primeiro segundo.

Se procura uma escapadinha de fim de semana em Espanha cheia de novas experiências, paisagens e sabores, este é um plano feito à sua medida. Percorra connosco estes 7 magníficos vinhos e os melhores hotéis para os degustar.

 

1. Vinhos Rioja Alavesa

Nesta zona, produzem-se alguns dos famosos vinhos de Rioja. O vinho mais caraterístico é o tinto e a maior parte da produção é elaborada a partir da variedade de uva Tempranillo. Existe uma rota que passa por localizações como Samaniego, Laguardia, Elciego e Labastida, que estão tradicionalmente ligadas à cultura do vinho. Nesta rota, é possível visitar desde as adegas medievais às mais vanguardistas concebidas por arquitetos famosos, conhecer de perto o mundo vinícola no museu em Laguardia dedicado a este néctar tão apreciado e, como não poderia deixar de ser, desfrutar de umas das melhores gastronomias de Espanha.

2. Vinhos da Ribeira e Arribas do Douro

As terras banhadas pelo rio Douro são das mais produtivas e com maior tradição vinícola de Espanha. A capital de Ribeira e Arribas do Douro é Peñafiel. No seu castelo, encontra-se a sede do Museu do Vinho, visita obrigatória para todos os amantes da vinicultura. Situada junto a Aranda de Duero, San Esteban de Gormaz, Peñaranda e Roa, forma um dos eixos principais da Rota do Vinho da Ribeira do Douro, a qual, além das visitas às adegas, proporciona um sem-fim de atividades relacionadas com o enoturismo. Paradoxalmente próxima à denominação mais antiga, encontra-se a área mais recente de Castela e Leão, as Arribas do Douro. Salamanca e Zamora abrigam as terras desta denominação que, ao contrário da Ribeira, além dos vinhos tintos e rosé, também produz vinhos brancos.

3. Vinhos de Toro

Sem sair da comunidade de Castela e Leão, encontramos outra denominação de origem com uma grande tradição: Toro. A zona, também banhada pelo rio Douro, encerra as províncias de Zamora e Valladolid e conta com uma variedade de uva autóctone, a tinta de Toro, utilizada para a elaboração de vinhos tintos e rosé. O interesse pela cultura do vinho realiza o casamento perfeito com o turismo cultural, uma vez que Zamora dispõe do maior conjunto de edifícios românicos de toda a Espanha e a cidade de Toro transformou-se num importante centro vinicultor. A Festa da Vindima realiza-se, precisamente, nos dias 17 e 18 de outubro.

Não perca também:

[related-article id="14254"]

 

4. Vinhos das Ilhas Baleares

No arquipélago das Baleares, também existe uma forte cultura vinícola que desenha a paisagem gastronómica das ilhas. A denominação de origem Binissalem-Mallorca é uma das mais famosas e produz, na sua maioria, vinhos tintos. A outra denominação mais popular é Pla i Llevant, cujo ponto forte são os vinhos brancos. Além destas denominações de origem, no arquipélago há outros vinhos da terra, como o Serra de Tramuntana – Costa Nord (Maiorca), da Ilha de Menorca, Ibiza e Formentera. Nos últimos anos, os vinhos de Maiorca, a ilha com maior produção, assistiram a um ressurgimento e, atualmente, existem mais de 70 adegas e 500 marcas de vinho reconhecidas internacionalmente.

5. Vinhos Penedès

Na região do Penedès, produzem-se vinhos tintos e brancos reconhecidos em todo o mundo, mas é também a região por excelência do vinho cava, sendo Sant Sadurní d’Anoia a capital deste produto e a rainha desta denominação de origem, a variedade xarel·lo. Entre vinhas e adegas, moram casas de campo, aldeias medievais, conjuntos de arte românica e modernista e espaços naturais que, sem dúvida, merecem ser conhecidos através das Rotas do Vinho e da Cava: caminhos entre vinhedos que pode visitar a pé, a cavalo ou de bicicleta, bem como elementos patrimoniais como o mosteiro de Sant Sebastià del Gorgs, símbolo da herança românica do Penedès, e os edifícios modernistas de Sant Sadurní d’Anoia, Vilafranca del Penedès e Gelida.

6. Vinhos das Rías Baixas

Salnés, O Rosal, Ulla, Soutomaior e Condado são as zonas com denominação de origem das Rías Baixas. Trata-se de um território composto por pequenas aldeias piscatórias, casas de campo típicas e mosteiros encantadores. Um bom exemplo destas aldeias piscatórias é Cambados, uma das maiores produtoras de vinho Alvarinho da região, onde poderá visitar o Museu Etnográfico e do Vinho. O território das Rías Baixas oferece um vasto leque de atividades de lazer, que incluem experiências gastronómicas, visitas a aldeias piscatórias para ficar a conhecer os seus costumes e escapadinhas na ilha de La Toja, conhecida pelos seus spas e centros termais.

7. Vinho de Marco de Jerez

Este ano, é imprescindível visitar a Cidade Europeia do Vinho, Jerez, à qual foi concedido este distintivo pela sua longa história, divulgação comercial no estrangeiro e enraizamento na cultura andaluza. A Rota do Vinho e Brandy atravessa os oito municípios marcados pelas adegas e pelos vinhedos do Marco de Jerez, onde as visitas às empresas vinícolas mais célebres como Osborne ou González Byass (cuja marca mais conhecida é Tío Pepe), podem ser complementadas com atividades culturais como espetáculos de flamenco e equestres ou atividades na natureza e gastronómicas.

Não perca ainda:

[related-article id="52"]